Category Archives: DIÁRIOS DE VIAGENS

Diários de viagens e outros negócios relativos a viagens que faço nas férias. Ainda preciso achar meus diários de outras viagens pra postar aqui. Faço-os em diários de papel.Depois passo aqui.Alguém sabe onde eles estão.Agradeço se puderem ajudar…

MINHAS FÉRIAS NA ESPANHA – 2015

MINHAS FÉRIAS NA ESPANHA – 2015

TENHO QUE ACHAR MEU DIÁRIO DE VIAGENS PRA ESCREVER AQUI COMO FOI ESTA VIAGEM. LEMBRO-ME QUE NÃO ESCREVI AQUI NA ÉPOCA PORQUE FIQUEI CHATEADO POR TER PERDIDO MEU PASSAPORTE EM BARCELONA…PRECISO ACHAR O DIÁRIO ANTIGO ONDE ESTÃO OS RELATOS. APESAR DA PERDA, FOI UMA VIAGEM MUITO LEGAL E NECESSÁRIA PRA MIM…

DIÁRIOS DE VIAGENS

DIÁRIOS DE VIAGENS

COMEÇAREI A PUBLICAR NOVOS DIÁRIOS DE VIAGENS. DURANTE MUITO TEMPO EU SÓ TENHO REGISTRADO NOS MEUS CADERNINHOS. A INTENÇÃO ERA PUBLICAR TODOS NO BLOG. O TEMPO PASSOU E EU ACABEI NEM LEMBRANDO DISSO.

SERÃO POSTADOS NA CATEGORIA DIÁRIOS DE VIAGENS. PODE SER QUE AO LONGO DO TEMPO EU RECORDE ALGUMAS VIAGENS QUE FIZ E NÃO REGISTREI. SE ACONTECER…

DURANTE ESTAS VIAGENS, EU TIREI MUITAS FOTOGRAFIAS. MUITAS MESMO. PROVAVELMENTE EU NÃO VOU PUBLICAR. NÃO SEI SE TENHO MÃOS E OLHOS PARA SELECIONAR AS MELHORES. NA VERDADE, TEM MUITO MAIS FOTOS QUE TEXTOS. NÃO ACREDITO QUE UMA IMAGEM FALE MUITO MAIS QUE MIL PALAVRAS. TALVEZ UMA IMAGEM TENHA MUITO MAIS QUE MIL PALAVRAS. SÃO CONCEITOS DIFERENTES.

JÁ ACHEI UM DOS CADERNINHOS. O OUTRO TÁ GUARDADO POR AQUI. VOU PROCURAR. PRECISO MUITO DELA PRA REVELAR ESTAS VIAGENS.

POSSO ADIANTAR QUE SÃO TRÊS VIAGENS À EUROPA, UMA AO CANADÁ, UMA À ESPANHA, UMA AO PERU E ALGUMAS PELO BRASIL. TODAS FORAM INCRÍVEIS, COM ALTOS E BAIXOS. GOSTEI DE TODAS ELAS. MESMO COM OS BAIXOS DELAS, EU AS FARIA NOVAMENTE SEM PESTANEJAR.

NÃO SOU MILIONÁRIO NEM RICO. FORAM VIAGENS RAZOAVELMENTE BARATAS. PARA FAZÊ-LAS, EU ME PROGRAMEI, TRABALHEI, GUARDEI DINHEIRO E FIZ MUITAS PESQUISAS. TENHO UM BOM SALÁRIO, QUE FICA BEM ABAIXO DAS DEZENAS DE MILHARES E CENTENAS DE MILHARES QUE POUQUÍSSIMOS SERVIDORES PÚBLICOS PRIVILEGIADOS GANHAM.

NESTE ANO NÃO VIAJEI. TINHA PROGRAMADO, PORÉM, A PANDEMIA NÃO DEIXOU. SOSSEGUEI EM CASA E CONTINUO VIVO. ANO QUE VEM TEM VIAGEM. ASSIM ESPERO. JÁ TENHO MEU DESTINO DEFINIDO. JÁ COMECEI MINHAS PESQUISAS.

PRECISO LER OS CADERNINHOS PRA VER COM QUAL EU DOU SEQUÊNCIA NOS DIÁRIOS. A TENDÊNCIA VAI SER UMA DAS VIAGENS À EUROPA.

Tem flores nesse quase jardim

Tem flores nesse quase jardim

Aonde você vai assim desse jeito? O que vai procurar?

O que vai descobrir?

Leva um guarda-chuva! Pode chover!

Meu Deus! Quem é essa jogada aí?

Encolhida! Avexada!

Nunca foi achada…

Eles querem suas riquezas

Mas descuidam suas sutilezas…

Suas flores ainda sobrevivem.

Tem roupa pra quem pode.

Tem roupa pra quem quer.

Talvez não pra quem precisa.

A menina cuida do cão

O cão cuida da grade

A grade cuida do carro

Daqui a pouco evade.

A biela quebrou

O carro parou

O mecânico não vem

EU QUERO A MINHA MÃE!

Olha a banana, olha o bananeiro,

Olha o cliente distraído escorregando na casca

Aonde você vai assim desse jeito?

Tá elegante! Tá bonita!

Se esfriar, você não passa apuros.

Suas botas meiosas são seu auge.

Seu celular corre perigo.

Bora prosear que precisamos tirar o atraso.

Deixe- o no seu canto

que ele não vai delatar

ninguém.

Quando foi que sentamos pela

última vez? Faz tempo! Faz tempo!

Esse sorveteiro faz parte

da gangue.

Olha seu sorriso discreto!

Olha sua pose de galã!

Alberto Roberto da zona Oeste de SP

Lançou na esquerda

Driblou o lateral

Cruzou na área.

Pegou de primeira

Estufou a rede

Comemorou

como se fosse o último.

Me faz um favor.

Mira essa arma pra lá.

Não queremos fotografias hoje.

Por favor, não insista.

Senha 148

Mesa 64

Meu diploma

Minha vida

Minha não saudade.

Décadence avec elegance

Durma em uma cama de pregos

como se fosse o leito do rei

Deixa as estrelas invadirem

seu quarto abrindo caminho pra lua.

Ah! Esse desgoverno!

mal intencionado!

mau caráter!

mal escolhido!

mau lobo!

Eles são frágeis.

Eles são indefesos

Eles não são vagabundos!

Ele só quer sossego

Ela quer aventura

correr perigo

diversão

E um pouco de batom

para deixar a boca vermelha.

Tem uma árvore

crescendo nesse chão

Tem flores nesse quase jardim.

Tem uma dança

acontecendo.

Ele tem um coração duro de pedra

Vira as costas pra todo mundo

Vira monstro na lua cheia.

Se joga na boca da baleia.

E some.

Parem a cachorrada!

O cachorro aqui sou eu.

Brinquem! Divirtam-se!

Extrapolem os limites!

Bike, boné, mochila e

aquele tênis da hora.

Vamos errar e aprender

quase tudo que temos direito!

O paraíso é aqui.

Façam o que quiser

Ou não façam.

Durmam! Sonhem!

Pesadelem!

O descanso pode ser eterno.

Duas cuidam de uma

Enquanto muitos ninguém têm.

Quem cuida de quem?

Não sabemos.

Tu sujas,eu limpo

Tu te vais

Eu fico limpando

O que muitos sujam

Dormimos na rua

porque alguns têm

grandes mansões demais

As calçadas nos abrigam

Se não fossem elas

Não sabemos…

Somos

Quase todos MTST

Ocupamos

Moramos

Damos sentidos

Mantemos vivo

O sonho

da Justiça.

Greve Geral!

Não pagamos o que

os bancos devem

Não pagamos o que

as empresas devem

Deforma da Previdência, Não!

Não somos otários!

O povo Unido

derruba os

bandidos!

O povo unido

derruba

O mito!

Grandes Prédios

Grandes Dilemas

Grandes Problemas

Grandes Remédios

Somos quase todos loucos

Não queremos pouco porque

O muito fazemos.

Quando vocês devolverem

nossa riqueza, sossegamos.

Quem somos?

O que queremos?

Quem bate esquece

Quem apanha sempre

Lembra

Somos de luta

Queremos nossa parte

deste latifúndio.

Beat it! Beat it!

Power to the Black people!

The new black is black!

Lute! Lute!

Poder ao Povo Negro!

O novo preto é Preto!

Toronto is beautiful Toronto é bonita

She’s great Ela é bótima

She’s big Ela é grande

But I love Sampa Mas eu amo Sampa

No matter what you say, what you do, Não importa o que você diz, o que faz

No matter what you think Não importa o que você pensa

We need the truth. Precisamos da verdade.

Black tie is not mine Gravata não é meu estilo

My way is casual Meu jeito é casual

Este mar tem poucos

carros

Também não tem muitos

peixes.

Também não tem muitos pescadores

Também não tem mar.

Mãos na cabeça!

Boca calada!

Supostamente bandido…

Negro, pobre, sem voz, sem chance.

Sem Paz!

Mãos na cabeça!

Algemas nas mãos!

Criminoso por acaso.

No lugar errado

Na hora errada

A pessoa errada.

Ele, mineiro, 52, Filho de Santo

Cheio de ódio contra seus algozes.

Ela, caiçara, 24, quase muda,

quase inocente e frágil, meio chapada.

Pode ser mentira. Pode ser verdade.

Juliana não sabia.

Mais de 70, chapéu de palha,

doce olhar, faltam dentes.

Desvia do tiro!

Hei, você!

Sai fora!

Casa para quem precisa.

Comida para quem precisa.

Saúde para quem precisa.

Dignidade para quem precisa.

Comércio barato

gaiato nefasto!

Não vale quanto custa

Preços insensatos!

Compradores enganados!

Produtos supervalorizados!

Tenho 73,

Ela, 26

Quero morar com ela

Sou sozinho

Se ela me bater,

fujo de casa

Meus filhos fugiram

Você tira uma foto de mim?

Não vá!

Tchau!

Quando ele olhou pra mim,

usava aqueles óculos, comprados no camelô.

Quem vê pensa que é cego.

Cansei.

Parei.

Voltei pra casa.

Peguei o Apiacás.

A noite chegou,

a senhorinha voltou

Trouxe as suas sacolas

Agora o ciclo

se fechou.

17/julho/2019

Este longo poema foi feito com base num livro que ganhei. O livro se chama Pequenos Acasos Cotidianos – Presentes e Desastres da Vida Urbana – Descobertas de uma andarilha errática, de Juliana Russo, dado por uma colega de Curitiba, a Mitie, que conheci durante a FLIP 2019. Depois que li, deu vontade de escrever este poema, um misto de interpretação e diálogo. Ele fala das andanças de Juliana por Sampa.

Férias em Solonópole – 18 de julho

Férias em Solonópole – 18 de julho

Íkaro, Cristian, Marcel, Eu e Micael na entrada da Capela

Hoje foi um dia um pouco diferente. Durante a madrugada, vimos dois filmes. Não integralmente. Terminamos de ver Capitão Fantástico e iniciamos Democracia em vertigem.

O primeiro narra a história de uma família americana pouco convencional. Eles vivem em um ônibus, viajando de cidade em cidade. Os filhos não têm uma educação formal. Sua sala de aulas são os lugares em que passam, seus professores, seus pais. A meu ver, o filme coloca em debate a forma ocidental de educar e a forma alternativa proposta pelos pais andarilhos. É um filme bem interessante apesar de americano.

O segundo expõe com requintes de crueldade o golpe parlamentar que retirou ilegitimamente a presidenta Dilma, traída por seu vice, Michel Temer. O filme trabalha com vozes a favor e contra, revelando as forças que manipuladas boa parte do povo com meias verdades e mentiras para que aceitassem e apoiassem o golpe. Por outro lado, vozes que defendiam a permanência da presidenta, mostrando gratidão pelo governo e descrença nas mentiras apresentadas. Não terminamos de ver o filme. Fomos dormir porque ninguém é de ferro. Eram quase 6h da manhã.

Quando acordamos, tomamos café e matamos o tempo . Eu fui ler um livro e meu amigo, jogar videogame, Batman: Arkham Knight. Depois almoçamos, demos um tempo e fomos fazer uma tour pela cidade pra ver uns lugares interessantes na cidade. Fomos com outros amigos.

Fomos ver uma escola de ensino profissionalizante que está em construção. Parece ser bastante necessária e importante para a população da cidade. Fomos ao estádio de futebol, entramos e fizemos uma vistoria no gramado. Estava bom. Podem realizar a copa do mundo aqui sem medo. Vimos também uma capela consagrada a Nossa Senhora de Fátima. Segundo meus amigos, a capela foi construída no local onde uma estátua da santa foi encontrada. Sempre que levavam a estátua para outro lugar, ela voltava misteriosamente para o seu local de origem.

Acho que nesse dia, fomos jogar vôlei no ginásio da cidade. Até que deu pra matar a vontade. Por incrível que pareça, eu estava dodói de novo. Meu dedo indicador da mão direita estava infeccionado e muito inchado. Mesmo assim, ainda eu brinquei na quadra.

Férias em Solonópole – 19 de julho

Neste dia, ficamos em casa. Eu lendo. Cristian jogando. De vez em quando rolava uma conversa. Falamos bem pouco. Neste dia, depois do almoço, fomos ao hospital para ver o que tava acontecendo com meu dedinho indicador. O médico viu e disse que se tratava de uma infecção. Receitou uma benzetacil, que tomei ali mesmo, um antibiótico e um analgésico que comprei na farmácia ali perto. Eu já tinha passado no médico em Sampa uma semana antes, mas a infecção persistiu. Quando eu estava em Paraty, a infecção estava regredindo.

À noite, saímos. Fomos a um barzinho, o Boteco Mágico. Tomei umas três garrafas de água. Não bebo alcoólicas. Vieram uns amigos e ficamos conversando. Eu, pouco. Sou bem tímido. Lá eles têm um grupo que joga o Cartola em um grupo que eles organizaram. Rola uma disputa e eles fazem uma festa com um prêmio para o vencedor do grupo. Se não é isso, é quase isso. Eu ando muito desinteressado de futebol há um bom tempo. Continuo gostando, mas as relações capitalistas selvagens me deixam com certa revolta. Depois fomos pra casa.

Férias em Solonópole – 17 de julho

Férias no Ceará

Eu tinha pensando em planejar viajar à Europa nestas férias, mas não tinha clima para isso. Então resolvi passar as férias aqui mesmo na América do Sul. Pensei em ir à Argentina, Chile, Colômbia e Bolívia. Não sei se todos ou alguns. Tinha que fazer contas pra ver se os quinze dias eram suficientes. Também pesou na escolha as coisas e as pessoas com quem eu queria partilhar meu tempo. Ultimamente são poucas pessoas com quem eu quero isso. Eu tava quase comprando passagens para mais umas férias fora, mas…Pesou a situação complicada do país, as necessárias mobilizações populares, as minhas necessidades.

Então decidi ir ao Ceará visitar um amigo. Escrevi com ele um livro de poesias. É um amigo muito especial. Conheci por meio de uma amiga aqui de Sampa, a Sara. Também tenho saudade dela, mas tá aqui perto. Qualquer coisa, marcamos. Aliás, vi com ela e a Ester um show do Jorge Drexler. Fiz uma postagem sobre isso aqui no blog.

Fui ao Ceará, mas passei antes por Paraty para a Flip 2019. Foi uma decepção, mas também uma coisa interessante. Escrevi sobre isso no blog também. Depois vocês podem ler.

Meu amigo mora em uma cidade muito pequena, Cabe aqui no meu bairro e sobre espaço. Eu ainda estou pensando qual minha opinião sobre ela, Solonópole. A princípio gosto porque é onde mora Cristian e sua família. Da outra vez que fui, eu estava um pouco impossibilitado de fazer muitas coisas. Tinha umas dores horríveis no corpo. Nem pude mostrar meus dotes esportivos. Acho que alguém tava espetando meu voodoo por aí. De qualquer forma, gostei. Fui muito bem recebido e conheci alguns amigos de Cristian.

No primeiro dia, ficamos em casa. Meu amigo jogando (tá viciado). Conversamos um pouco. Aproveitei pra mexer nos livros dele. Professor de História, tem bons livros. Folhei alguns. Depois comecei a ler um sobre os 5 mil dias de Lula na presidência, uma organização de diversos textos críticos sobre a administração do melhor presidente do Brasil. Queiram ou não, ele fez o melhor governo popular do país. Teve erros e acertos. Gostei de ler o livro embora não tenha lido inteiro. Um dia eu pego de novo. Li uns 10 textos ou pouco mais que isso.

Vimos o jogo entre Flamengo e Athlético Paranaense pela Sulamericana em uma lanchonete em um posto de gasolina daqui da cidade. Deu Athlético nos pênaltis. Foi 1 a 1 no tempo normal. Estávamos torcendo pelo Mengo. Foi um jogo meio tenso. Não sei se foi justo o resultado. Nem Jesus salvou desta vez.

Se não me engano, começamos a ver o filme Capitão Fantástico. Creio que eu dormi em mais da metade do filme. De vez em quando eu acordava, mas eu me lembro do trecho que vi com clareza. Por isso no dia seguinte, vimos o filme deste trecho em diante.