Pitty Ontem, Pitty Hoje

Pitty ontem , Pitty Hoje

Dois Álbuns Musicais de Pitty em fases distintas

Priscilla Novaes Leone, mais conhecida pelo nome artístico Pitty é uma cantora brasileira de rock. Já passou por duas bandas antigas, Inkoma e Shes, e em 2003, com nova banda, a cantora adotou definitivamente seu nome artístico.

Nascimento: 7 de outubro de 1977 (36 anos), Salvador, Bahia.

Inspirada na obra ´Admirável Mundo Novo´ de Aldous Huxley, a cantora baiana lança seu primeiro álbum em carreira solo, mostrando um estilo eclético e um punhado de canções autorais.

Sempre se reinventando e tendo a inquietude como uma forte característica, Pitty lava a alma em Sete Vidas. Aprofunda a pesquisa sonora de “Chiaroscuro” (Deck/2009) e traz um rock cru, direto e ao mesmo tempo bastante psicodélico.

Ampliando as experimentações, Pitty e banda incorporaram sutilmente ritmos africanos, especialmente uma herança rítmica do candomblé, que foram trabalhados com a preocupação de não ser caricato, utilizando elementos típicos desse universo (instrumentos como agogô e caxixi) de uma forma diferente, que complementasse o rock da banda. O trabalho de voz, assim como coros e aberturas vocais, vão um pouco além do que apresentaram em “Chiaroscuro” e o som está ainda mais pesado. Como o próprio nome sugere, as letras tratam de sobrevivência, resiliência e processos de transformação.

Gravado ao vivo, com todos os instrumentos tocados simultaneamente, no Estúdio Madeira (SP), Setevidas foi produzido por Rafael Ramos e mixado pelo inglês Tim Palmer, que já trabalhou com U2, mixou o clássico “Ten”, do Pearl Jam, além de David Bowie, Robert Plant, Ozzy Osbourne e outros. E Ted Jensen, que tem no currículo Muse, Arcade Fire, Norah Jones e Paul MacCartney, foi o responsável pela masterização. O resultado é um som “grande, mas garageiro”.

“Era a linguagem que queríamos” – explica Pitty.

 

Fonte: Youtube

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.